domingo , 20 de agosto de 2017
Últimas Notícias

Senadores fazem acordo para votar reforma trabalhista nos dias 20 e 28

 No dia 20, centrais sindicais farão ato nacional de protestos contra reformas do governo e pela saída de Temer. Diap vê correlação de forças desfavorável

Senadores da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) fizeram hoje (8) acordo para a tramitação do projeto de lei (PLC 38) de “reforma” da legislação trabalhista. Na próxima terça-feira (13), será feita a leitura do parecer do relator, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), além de possíveis votos em separado da oposição, e uma semana depois ocorrerá a votação. Também no dia 20, as centrais sindicais farão um dia nacional de protestos contra as reformas (trabalhista e da Previdência) e pela saída de Michel Temer da Presidência.

Se esse acordo for confirmado, o PLC 38 deverá ser votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado no dia 28, para então ir a plenário. Segundo o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), até mesmo nesse dia o texto poderá ser votado pelo Senado, “mas quem pauta o plenário é o presidente Eunício Oliveira”, acrescentou.

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse que o acordo foi bom para a Casa, lembrando que a oposição receava uma tramitação em regime de urgência, sem passar por todas as comissões. “É positivo para as boas relações, independente do resultado. E que no voto se decida”, declarou.

A questão, como aponta o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), é que na CAS o quadro é ainda mais adverso que na Comissão de Assuntos Econômicos, onde o PLC 38 foi aprovado nesta terça, 6, por 14 a 11. Já na de Assuntos Sociais “os trabalhadores deverão contar com apenas sete votos”, de um total de 21 do colegiado.

Fontes: RBA, com informações da agência Senado