Área restrita

INPC de setembro de 2016 a agosto de 2017, ficou em 1,73%, segundo dados divulgados pelo IBGE; categoria é uma das poucas que obteve aumento real

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (6) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de agosto. A variação no mês foi negativa de - 0,03%. Com isso, o acumulado nos últimos 12 meses ficou em 1,73%. O reajuste da categoria bancária será de 2,75%.

“No ano passado conseguimos prever esta conjuntura de ataques aos trabalhadores e seus direitos que estamos enfrentando e fizemos um acordo de dois anos. Somente por isso conseguimos aumento real de 1%. Esta não é a realidade da maioria das categorias e, entre as empresas públicas, os bancários serão, possivelmente, a única categoria que obterá aumento real neste ano”, disse Roberto von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Segundo levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) entre 300 categorias 30 tiveram reajustes abaixo da inflação, para 91 foi igual ao INPC, 107 categorias conseguiram apenas 0,5% acima da inflação e 38 categorias entre 0,51% e 1% acima da inflação.

Aumento real

Os bancários conquistaram o aumento real de 1% depois de uma longa greve de 31 dias, em um acordo de dois anos. Para 2017, o reajuste vai repor integralmente a inflação (INPC/IBGE) e garantir mais 1% de aumento real nos salários e em todas as verbas.

Em maio, o secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), do Ministério do Planejamento, Fernando Antonio Soares, anunciou que o Governo Federal tem a meta de demitir 20 mil funcionários públicos federais em 2017 e disse que os bancários, possivelmente serão a única categoria entre os trabalhadores de empresas públicas que terão reajuste salarial acima da inflação em decorrência do acordo de dois anos.

Desde 2004, os bancários conquistam aumento real de salários. Neste ano, o reajuste de 1% acima da inflação deve ser ressaltado não apenas pelo momento histórico do país, mas também por vir em um tempo de deflação, enquanto em anos anteriores o reajuste acabava sendo corroído pela inflação.

Defesa do emprego

Outro avanço obtido com o acordo de 2016 foi a criação dos Centros de Realocação e Requalificação Profissional, previstos na cláusula 62 da Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria. Os bancos deverão criar estes centros para, ao invés de demitir funcionários, requalificá-los e realocá-los em outros postos de trabalho. O direito foi acrescentado na CCT da categoria nas negociações de 2016 e a redação da cláusula foi aprovada na última reunião entre o Comando Nacional dos Bancários e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Uma das prioridades dos bancários deste ano é a defesa do emprego. O Comando Nacional dos Bancários entregou à Fenaban uma proposta de Termo de Compromisso com 21 pontos para proteção de empregos, de direitos históricos e de delimitação dos atos nocivos que podem advir da nova Lei Trabalhista (Lei 13.467/2017) e da Lei de Terceirização (Lei 13.429/2017) e de outras que ainda tramitam no Congresso Nacional. A Fenaban vai discutir o termo com os bancos para dar a resposta à Contraf-CUT.

PLR e vales

O reajuste de 2,75% também será válido para a PLR dos bancos privados e vales refeição e alimentação, além do auxílio creche/babá.

Os novos valores já são válidos para os salários referente ao mês de setembro, a serem pagos em outubro. Já a PLR deve ser paga até o dia 30 de setembro. A Contraf-CUT já solicitou aos bancos a antecipação do pagamento. Atendendo à solicitação, o Banco do Brasil, que tem um programa próprio de PLR, que independe do índice, já efetuou o pagamento da PLR aos funcionários no dia 31/08.

O acordo de dois anos também garantiu o abono dos 31 dias de paralisação, sem a necessidade de compensação.

 

Fonte: Contraf-CUT

Denúncias de bancários foram feitas nessa manhã e banco deve se posicionar até o final do dia

O Sindicato recebeu na manhã desta quarta, 6, várias denúncias de bancários do Itaú sobre descontos indevidos no holerite. A entidade entrou em contato com o banco, que ficou de verificar o que estava ocorrendo e retornar o contato com um posicionamento até o final do dia.

A conferência do holerite deve ser feita todos os meses pois, em casos assim, é preciso entrar em contato com o Sindicato imediatamente, para que sejam apurados e corrigidos os erros. Confira também o seu e, caso encontre algum problema, acione o Sindicato.

Mais de três mil pessoas participaram da Festa dos Bancários 2017 em comemoração ao Dia do Bancário. O evento que reuniu bancários da Região em uma grande confraternização aconteceu no último dia primeiro no Estância Alto da Serra, em São Bernardo do Campo.

"Essa festa é em homenagem e agradecimento a todos os bancários que lutam e por isso conquistam. Foi um momento de confraternização aonde todos os presentes puderam se divertir", disse Belmiro Moreira, presidente do Sindicato.

Clique AQUI para ver as fotos da festa

Clique AQUI para ver os vídeos

Diversos brindes foram sorteados durante a festa para os bancários presentes. Os ganhadores foram:

TV – Luciana de Rezende Martinez – Itau / Vila Nogueira

BICICLETA – João Pedro Gasparoto – Caixa / Grand Plaza

VALE VIAGEM – Ana Claudia Ribeiro – Caixa / SBC

HEADPHONE – Selma Ramos Negri – Santander / Shopping ABC

CÂMERA FOTOGRAFICA – Helena Ulian - Aposentada Bradesco / Xavier de Toledo

TABLET – Jacqueline

CONVITES MAIARA E MARAISSA

Ademar Ozorio Liberato – Banco do Brasil / Barão de Mauá

André Gonçalves da Silva – Itau / Shopping SCS

Camila Esteves Pedron – Bradesco / Ribeirão Pires

Cristiane Leite Garcia – Itau / Piraporinha

Danilo

Fabiana R. Pazo Franco – Santander / Paço Municipal

Glaucy Kelly – Bradesco / Ribeirão Pires

Samuel de Abreu – Bradesco / Senador Fláquer

Wesley Ricardo Bezerra da Silva – Bradesco Dr. Flaquer

 

 

Iniciativa é do Sindicato 

Uma audiência pública em defesa dos bancos públicos acontece no próximo 15 de setembro, a partir das 19h, na Câmara Municipal de Santo André. A iniciativa é do Sindicato e tem o apoio da vereadora Bete Siraque (PT). O objetivo é destacar a importância dessas instituições nas economias nacional e regional e promover o debate sobre as ameaças de privatização e precarização que vêm sofrendo durante o governo Temer, com consequências para a sociedade e, em especial, a categoria bancária.

Participam da audiência representantes de bancários do Banco do Brasil e da Caixa, além de sindicalistas e parlamentares. Durante o evento também deverá ser aprovada uma moção de apoio aos bancos públicos. O Sindicato já encaminhou às demais câmaras municipais da região a solicitação de que aprovem moções similares, e novos debates poderão ser promovidos. Eles se somam a centenas de ações que vêm sendo realizadas pelo País para denunciar o desmonte de empresas e serviços públicos, e ampliam a organização para um grande ato em defesa do patrimônio público que acontecerá em 3 de outubro no Rio de Janeiro.

Mais informações sobre a campanha “Se é público, é para todos” poderão ser obtidas no site do Comitê Nacional em Defesa dos Bancos Públicos – www.comiteempresaspublicas.com.br

O Banco do Brasil, atendendo pedido do Sindicato, antecipou o pagamento da PLR para essa quinta-feira, 31, mesmo dia do pagamento dos acionistas.
Diferente dos demais bancos a PLR do BB é semestral, e o pagamento de hoje é referente ao primeiro semestre de 2017.

download 1

Acordo firmado ano passado tem validade até 2018

Os empregados da Caixa recebem neste mês, junto com o pagamento, o reajuste salarial. Acordado em 2016 e válido por dois anos, esse reajuste será de 1% acima da inflação (INPC, cujo índice ainda não foi divulgado).

Também será paga a PLR, que tem de ser creditada até 30 de setembro. “O valor ainda não é conhecido, pois a Caixa não divulgou seu balanço até agora”, afirma o diretor sindical Jorge Furlan.

Veja as regras para a composição da PLR estabelecidas pelo acordo:

PLR regra Básica: 90 % da remuneração base reajustada em 01/09/2017 acrescida de R$ 2.183,53 (reajustado em 01/09/2017)

Regra adicional – 2.2% do lucro líquido dividido linearmente

PLR adicional Caixa (Social) – 4% do lucro líquido dividido linearmente

Para mais detalhes acesse o link:

http://fetecsp.org.br/Store/Arquivos/PLR-Caixa-2016-2017.pdf